Nelson Teich é anunciado como novo ministro da Saúde

16/04/2020

Saúde


Nelson Teich é anunciado como novo ministro da Saúde


Foto: reprodução - YouTube | Oncologia Brasil

O presidente Jair Bolsonaro anunciou hoje à tarde no Palácio do Planalto (16/04), o novo ministro da Saúde, o oncologista Nelson Luiz Sperle Teich, que sucederá Henrique Mandetta na pasta. A nomeação de Teich foi publicada em edição extra do Diário Ofical da União desta quinta-feira.


O ministro da saúde é formado em em medicina pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ – 1980), tem duas especializações: em Medicina Interna (1985-1987) e em Oncologia Clínica (1987-1990). Também fez dois cursos na área de gestão e liderança da saúde na Escola de Harvard (2005 e 2026) e outros cinco cursos estratégicos nas áreas de prestação de cuidados, mensuração de valores e gestão de projetos de saúde pela instituição no estado de Boston, nos Estados Unidos, e em Xangai, na China.


Estudou economia da saúde de produtos farmacêuticos pela Escola Europeia de Economia da Saúde de Cannes, na França (2007), e em Avaliação Socioeconômica de Medicamentos (2007) pela Universidade de York, no Reino Unido. Possui ainda pós-graduação em Economia da Saúde (2007-2009 e 2016) e mestrado em Avaliação Econômica de Tecnologia de Saúde (2017-2017), também pela Universidade de York.


Em pronunciamento, Bolsonaro apresentou Teich e o agradeceu por ter aceito comandar o ministério: "Além de agradecer o senhor Henrique Mandetta pela sua cordialidade, pela forma como conduziu o seu ministério, eu também agradeço o doutor Nelson por ter aceito esse convite, e ele sabe do enorme desafio que terá pela frente. Já começa hoje mesmo uma transição que gradualmente vai servir para redirecionar a posição, não apenas do presidente, mas dos 22 ministros que integram o nosso governo".


"Quero agradecer ao presidente pela oportunidade de assumir o ministério num momento tão importante da saúde do país. Para mim é uma honra estar aqui para ajudar o país e as pessoas".
- Nelson Teich, ministro da Saúde

Na coletiva, o novo ministro pontuou que não haverá nenhuma definição brusca e radical em relação ao distanciamento e isolamento social. Disse que há poucas informações concretas e tudo ainda está confuso, mas com as informações disponíveis até o momento a pasta decidirá qual é a melhor ação para definir o método mais eficaz de proteção.


"Tudo aqui será tratado de forma técnica e científica. Vamos disponibilizar o que tem hoje em termos de vacina e medicamento essencialmente dentro de um projeto de pesquisa, porque isso vai permitir que se recolha o maior número de informações num espaço mais curto, e ajudará a entender as diferenças dos pacientes, das pessoas e sociedade".


Teich também defende o uso de recursos de inteligencia de dados para entender e mapear as características do vírus no país, além da realização de testes (um programa de testes) em toda a população com o apoio do SUS, saúde suplementar e iniciativas empresariais para tentar tomar decisões mais efetivas para combater a covid-19.


Ao final do discurso no Planalto, destacou que existe um alinhamento completo entre ele e o presidente e todo grupo do ministério, com foco num trabalho para que a sociedade retome o mais rápido possível uma vida normal.


Já em entrevista ao telejornal "SBT Brasil", o repórter Galton Sé o questionou sobre o uso de cloroquina no tratamento contra o novo coronavírus. O Ministro respondeu que a cloroquina faz parte da série de medicamentos que pode ser eficaz contra a covid-19, mas deve ser feito antes um estudo dentro de um programa de pesquisa, de um planejamento, respeitando cada grau do paciente em relação a doença, e tentando colher dados e interagir com os pesquisadores para entender o papel e funcionalidade de cada medicamento e vacina no controle da doença.

© 2020 - Vitor Catanho

Todos os direitos reservados

  • https://www.youtube.com/channel/UCZz
  • Black LinkedIn Icon